segunda-feira, março 19, 2018

Mais um dia marcante na nossa aldeia



Imaginem uma aldeia*** com 50 habitantes, que está inserida numa freguesia, conjunto das 7 aldeia que pouco mais tem que 150 habitantes, n’um concelho do interior que agora chamam de "baixa densidade populacional". 
O que acontece quando vão a essa aldeia***, 47 “jepes”?
Eu sei que o termo não é o correcto, o meu amigo João Coimbra faz questão de me corrigir sempre, mas é assim que as pessoas por aqui os tratam os todo-o-terreno que nos Inverno lhes tapam os “a-bueiros”.

Com a visita de 47 Land Rovers, mais de 120 pessoas isto será tema de conversa e de orgulho os próximos tempos. Mesmo que por um dia, a população mais que triplicou.

No Centro de Convívio, essa conversa já começou este domingo durante o jogo da sueca e com as conversas ao balcão e à lareira:

  •  “Eu é que não ia lá dentro”. 
  •  “Já viste onde eles subiram”. 
  • “Aquilo não deve travar nada, se for como os da tropa”. 
  •  “Quero ver é agora a descer”.  
  • “Deus queira que aquilo chegue a Poiares”.  
  • “Vieram de Braga porque vieram desengatados agora quero ver a subir”.  
  • “A malta dos pronto Socorros é que vai ter sorte”.

Para a próxima o Rio Alva estará mais calmo e naturalmente retomará ao seu leito, no seu percurso habitual, permitirá usufruir da nossa praia fluvial e das estradas nas margens do Alva.  Foi um prazer abrir as portas do Centro de Convívio, a esta malta, partilhar a camaradagem, alegria e momentos de boa disposição.

Obrigado
Luis Filipe Santos
(Presidente do Centro de Convívio da Moura Morta)

*** - A Moura Morta é uma aldeias mais antigas com foral entre Linhares da Beira e Coimbra, com mais de 850 anos de história , cujo nome foi atríbuido por D. Afonso Henriques no ano de 1151.





0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home