quinta-feira, dezembro 24, 2009

A Sopa da Pedra

Conta a lenda…
... Que um velho caminheiro errante das terras do sem fim, andrajoso e cansado, sem forças e cheio de fome vindo pela estrada de Vilarinho chegou à Moura Morta e procurou que lhe dessem algum comer. Tempo de míngua era esse na altura da 1ª Guerra Mundial, que dificilmente encontraria alguem que lhe desse resposta ao seu pedido e por isso andava prevenido com o seu saquito às costas.
Desceu a Ladeira da Fonte, passou a Barroca e dirigiu-se à Casa de Miro, casa essa pertença de uns senhores do Torrozelo aldeia de perto de Seia que negociavam em milho e azeite e tinham as moendas conhecidas pelas moendas do Torrozelo ao fundo da Ribeira de Sabouga.
Pediu, então, ao dono da casa de que se abeirou se lhe emprestava uma panela para fazer a sua comidita. Retirou do seu bornal uma pedra redonda e branquinha daquelas que não havia pela nossa zona, que ofuscava quem a olhava directamentee colocou-a dentro da panela, dizendo que já que outro alimento não conseguia, que iria fazer uma “sopa da pedra”.

Perante o espanto da situação, o dono da casa permitiu que ele utilizar o lume na casa da eira para confeccionar a sopa. Foi buscar àgua à mina da Ti Rosa Lima e crescentou água à pedra que se encontrava no fundo da panela, enquanto ia dizendo que algum tempero daria outro paladar à sopa. A dona da casa que ainda não era a ti Felicidade, muito preocupada deu-lhe uma mão cheia de sal e o velho caminhante pediu um bocadinho de banha e um naco de chouriça que tornaria a sopa mais saborosa.
Para engrossar a sopa de pedra pediu algumas batatitas, uns baguitos de arroz e feijão mesmo sobras de anterior refeição. Para lhe dar mais cor, foi á Vinha buscar umas folhas de couves e uma cabeça de nabo… e alguma carne que havia sido no dia anterior cozinhada com o feijão.
O velho caminheiro partilhou aquela sopa, a “sopa da pedra” com os donos da casa que se deliciaram e antes de seguir caminho para Poiares retirou a pedra do fundo da panela, limpou-a cuidadosamente e colocou-a no bornal para a “sopa do dia seguinte”.

Notas:
1 - Existem registadas cerca de uma dezena de versões da “Lenda da Sopa da Pedra”, entre as quais esta da Moura Morta e uma que foi recolhida por Teófilo Braga.
2 – A Sopa da Pedra faz parte da cozinha regional portuguesa e, igualmente, brasileira, sendo servida em diversas localidades, com destaque para Almeirim


Etiquetas:

2 Comments:

Blogger LUIS FERNANDES said...

Amigo, como leitor do seu blogue, desejo-lhe um bom Natal e um melhor ano que aí vem.
Um grande abraço.
Luis Fernandes
(www.questoesnacionais.blogspot. com)

11:20:00  
Anonymous Anónimo said...

Hoje o Diário de Coimbra fala na Moura Morta.

11:35:00  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home