quarta-feira, outubro 25, 2017

E na Galiza é assim...e eles é que são os galegos

Na Galiza a reabilitação das terras começou uma semana depois dos fogos

Os trabalhos de reabilitação e reflorestação do terreno queimado na Galiza no passado dia 15 começaram a ser feitos na segunda-feira em 10.500 hectares dos 35.000 afectados que a Junta da Galiza considera prioritários. Os incêndios nesta região espanhola causaram quatro mortos.


Segundo revela a imprensa galega, uma primeira parte do trabalho iniciou-se na semana passada, com os técnicos do Centro de Investigação Florestal da província espanhola a inspeccionarem a área ardida e a avaliarem que tipo de actuação deveria ser levada a cabo para recas terras.
O governo decidiu começar por intervir nos locais onde área ardida atingiu mais de 300 hectares. São 35 áreas queimadas, partindo os técnicos depois para todas as outras restantes áreas. Para estes trabalhos, a Junta da Galiza destinou uma verba de três milhões de euros.
Os trabalhos a realizar dependem de área ardida para área ardida, podendo passar por evitar a erosão ou humidificar os solos. Serão ainda feitas drenagens e canalizações para água e construídas barreiras para evitar eventuais derrocadas quando começarem as primeiras chuvas.
Para proteger o sector do mar e evitar que as cinzas dos incêndios atinjam os viveiros de marisco, economicamente muito importantes na região, foram colocados têxteis de protecção junto aos viveiros.
Na passada quinta-feira, a Junta da Galiza anunciou que pagará no máximo cerca de 100 mil euros às vítimas dos incêndios dos dias 14, 15 e 16 deste mês que perderam ou tiveram parcialmente destruída a primeira habitação. Caso as casas atingidas sejam de uso ocasional, essa verba vai até aos 40 mil euros.
Foi também estipulada uma verba até três mil euros para reparações de construções de uso rural, como, por exemplo, currais para animais. Estas verbas serão complementares a eventuais indemnizações de seguros. Aos familiares dos quatro mortos foi atribuída uma compensação de 75 mil euros.
As ajudas decididas pela Junta da Galiza incluem ainda o pagamento das rendas dos que tiveram de alugar casa por verem a sua primeira habitação ardida. A junta estima que existam cerca de 2500 desalojados devido aos incêndios deste mês. O executivo da província pagará ainda 450 euros por mês durante dois anos aos afectados pelos incêndios e mais 600 euros para restabelecerem o fornecimento de água e electricidade.

A conselheira da junta para o sector do rural, Ángeles Vazquez, anunciou que estes primeiros trabalhos terão uma duração de mês e meio.
Na passada quinta-feira, a Junta da Galiza anunciou que pagará no máximo cerca de 100 mil euros às vítimas dos incêndios dos dias 14, 15 e 16 deste mês que perderam ou tiveram parcialmente destruída a primeira habitação. Caso as casas atingidas sejam de uso ocasional, essa verba vai até aos 40 mil euros.
Foi também estipulada uma verba até três mil euros para reparações de construções de uso rural, como, por exemplo, currais para animais. Estas verbas serão complementares a eventuais indemnizações de seguros. Aos familiares dos quatro mortos foi atribuída uma compensação de 75 mil euros.
As ajudas decididas pela Junta da Galiza incluem ainda o pagamento das rendas dos que tiveram de alugar casa por verem a sua primeira habitação ardida. A junta estima que existam cerca de 2500 desalojados devido aos incêndios deste mês. O executivo da província pagará ainda 450 euros por mês durante dois anos aos afectados pelos incêndios e mais 600 euros para restabelecerem o fornecimento de água e electricidade.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home