sábado, novembro 20, 2010

Negócio do mel atrai cada vez mais desempregados

A produção de mel e derivados está a atrair desempregados transmontanos, a denominação de origem protegida dá garantias de fiabilidade ao produto, que se tornou um negócio atractivo por ser rentável. A Casa do Mel de Bragança já vende cera para o grupo Zara.

A produção de mel está mais profissionalizada e atrai cada vez mais desempregados. A apicultura sempre foi uma actividade complementar à agricultura, permitindo aumentar o rendimento dos agricultores. Mas deixou de ser um hobby. Na zona da Associação de Apicultores do Parque Natural de Montesinho verifica-se um decréscimo de produtores,mas as explorações aumentaram. Cada unidade tem agora uma média de 50 colmeias. Esta mudança pela maior exigência no maneio das colmeias para que a produção seja rentável. "A actividade já não se compadece com amadores ou pessoas que não se dediquem a tempo inteiro.

O aumento do consumo de mel, tem contribuído para que a produção apícola seja mais rentável. O preço do mel subiu, o acesso ao mercado é mais fácil, a implementação de marcas está a crescer. "É uma actividade económica sustentável. A componente apícola sustenta famílias.

Nem tudo é lucro. Investir na apicultura obriga a um investimento inicial "considerável". A instalação de cada colmeia tem um custo que ronda os 150 euros. "Fica mais cara do que comprar uma ovelha", mas cálculos genéricos garantem que rentabilidade compensa o investimento. Cada colmeia pode produzir anualmente 18 quilos de mel, a que se junta um quilo de cera, mais 15 euros por cada uma através de subsídios de ajuda à produção.Estima-se que um apicultor com 300 colmeias "pode sustentar-se".


Etiquetas:

1 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Mas ha mel ou não ha mel?
Parece que andaram por ai a roubar colmeias. Será verdade?

13:26:00  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home