terça-feira, agosto 17, 2010

Sábado dia 14 de Agosto

A semana antes da descida de Rio tinha sido longa e os dias compridos, isto é, as máquinas da Câmara andaram a arranjar o Caneiro e foi feito o desbaste e corte de algumas árvores da parte de cima do açude, na Soeira. Além de ser muito agradável e ter muita sombra proporcionou um local fantástico para o almoço. Na sexta feira à meia noite ainda se tratavam de alguns pormenores como lavar os cascalho e ajeitar algumas pedras soltas. No Sábado o dia mais uma vez foi atarefado, foi necessário levar mesas e cadeiras para o areal e montá-las lá, matar os porcos e tratar dos últimos pormenores. O Nuno Duarte (das canoas), emprestou uma canoa para que se pudesse ir ainda no sábado fazer o corte e retirar algumas árvores, ramos e galhos de menor dimensão e desviar nas goleiras alguns calhaus de maior dimensão. A presença desses obstáculos associado a um levado número de participantes poderia causar alguma confusão e alguém se podia magoar.

Albino Rei
Depois de 3 horas no rio a limpar e a tirar os paus, além de muito gelados também estávamos com alguma fome, o Albino até queria ir assar este porco inteiro tal era a fome. (hehehehe)

Ainda no Sábado e antes de irmos comer o famoso arroz de fressura, que estava uma maravilha. O nosso amigo Zé Caetano, também ele estava ansioso pela descida do dia seguinte e como homem participativo e amante da Moura Morta ofereceu um porco e algumas boxes de Vinho para o Almoço de Domingo.


Já eram cerca das 11:00h da noite quando se começou a jantar um arroz de fressura maravilhoso, que foi preparado pela Cristina, Luísa, D. Fátima do Zé Luís e pela Ti Otilia. Quer dizer, além do arroz que estava uma maravilha e da broa que estava óptima também tivemos dos homens que nunca nos deixaram passar sede, o Zé Carlos e o Joaquim que no domingo foi o motorista de serviço.

O Ti Jerónimo lá me foi confidenciando acerca do vinho que estava muito bom, o jantar foi como sempre uma enorme cavaqueira cheio de boa disposição e de histórias.


Quando as mulheres trouxeram o arroz ainda se disse que era muito e que se ia estragar, mas no final acabou por se comer tudo e as pessoas que conversei todas diziam "Comi de mais, mas estava tão bom".O Sr. Armindo Mendes embora não tendo participado na descida de canoa, também esteve presente no dia de sábado na Moura Morta a ajudar a preparar as coisas para domingo e como não podia deixar de ser acabou por jantar e confraternizar connosco; só uma curiosidade estes dois amigos que estavam ao seu lado vieram de Mucela à procura do Sr. Mendes, quando cá chegaram tinham dito que já tinham jantado mas depois de alguma insistência e do bom aspecto do arroz, ainda voltaram a jantar.

Etiquetas: ,

1 Comments:

Anonymous Anónimo said...

muito bem

03:15:00  

Publicar um comentário

<< Home